Não é associado? Associe-se
Recuperar minha senha

Em Manaus, 6º Mutirão da Doença Inflamatória Intestinal, identifica altos índices, no exame de calprotectina fecal

Autor: GEDIIB | Publicado em: 13/09/2019

A cidade de Manaus (AM) realizou, no dia 10 de setembro, a segunda etapa do 6º Mutirão da Doença Inflamatória Intestinal (DII), promovido pelo GEDIIB (Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal do Brasil), que teve início em maio deste ano, com triagem feita através das fichas de sinais de Doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa.

A ação, que conta com parceria da Prefeitura Municipal da capital, através da Secretaria Municipal da Saúde (Semsa), e da Secretaria de Estado da Saúde de Manaus, passou por agendamento dos pacientes através do NIRA  (Núcleo Interno de Regulação Ambulatorial), por atendimentos no ambulatório de gastroenterologia, com a médica Déborah Botelho, membro do Conselho Fiscal da Diretoria do GEDIIB no Amazonas; ou proctologia, com o médico Raul Costa, bem como ainda com a gastroenterologista Arlene Pinto, do Ambulatório Araújo Lima, e, neste momento, chegou aos testes de calprotectina fecal.

Este exame mede a quantidade de calprotectina nas fezes, um marcador biológico, proteína, presente no organismo e responsável pelo transporte de cálcio e zinco, e, dos 14 pacientes previamente selecionados na primeira fase, 9 estavam com valores de calprotectina fecal elevados. "Estes pacientes serão encaminhados para a realização do exame de colonoscopia, no serviço de endoscopia do Hospital Estadual Delphina Abdel Aziz", explica doutora Déborah Botelho.

Os exames serão realizados ainda pelos próprios endoscopistas deste hospital, em outubro, conforme agendamento deles. "Observamos após essa segunda fase do multirao que com esse número tão alto de Calprotectina positivas dentre os que vieram fazer os testes , nossa maior dificuldade encontra-se na realização dos exames para diagnósticos . Pois a triagem clínica com os nossos especialistas gastro e proctologista tem sido bem feita. Agora iremos aguardar a realização da terceira fase (colonoscopias) para outubro no Hospital Estadual Delphina Abdel Aziz", complementa, Déborah.

Posteriormente, os pacientes diagnosticados com DII serão encaminhados aos centros médicos especializados, mais próximos, para atendimento e tratamento.

Sobre o exame

O teste de calprotectina fecal é rápido, simples, não invasivo e serve para diferenciar os sintomas de diarreia crônica, dor e distensão abdominal frequentes e comuns à doença inflamatória do intestino e a uma situação clínica mais simples, chamada de intestino irritável. Serve também para acompanhar o tratamento da doença inflamatória, pois diminui quando a doença está sob controle.

O exame é feito com amostra de fezes recentes, até 2 dias depois da coleta. Elas podem ser transportadas à temperatura ambiente (23 °C). A amostra deve ser coletada sem nenhuma adição química ou biológica no pote de coleta (tubo comum para coleta de fezes).

Valores inferiores a 50 mg/kg fezes são considerados normais. Valores superiores a 200 mg/kg fezes sugere doença inflamatória intestinal em atividade. Valores entre 50 e 200 mg/kg fezes não são conclusivos indicando continuidade da investigação. 

Em outubro, os teste de Calprotectina fecal também serão realizados em Belo Horizonte (02/10) e Brasília (08/10) como etapas, respectivamente, dos Mutirões de DII, os dois últimos previstos pelo GEDIIB em 2019.

Sobre o GEDIIB

O GEDIIB é uma entidade médica sem fins lucrativos, com o objetivo de buscar, aprimorar e gerar conhecimento relacionado ao tratamento das doenças inflamatórias intestinais (DII). Fundado há 15 anos, o grupo segue ampliando sua atuação, sempre com o intuito de levar uma melhor qualidade de vida aos pacientes portadores de DII.